Quinta, 14 de dezembro de 201714/12/2017
83 98876-3375​⁠​
Parcialmente nublado
23º
23º
28º
Bayeux - PB
Erro ao processar!
CIDADES
Selda Gomes adverte sobre risco da continuidade de práticas pelo Coren-PB que enfermagem não aceita mais
Ao invés de investir em prédios próprios, a atual gestão do Coren-PB já provou que gosta mesmo é de pagar aluguel.
Revista Bastidores PB BAYEUX - PB
Postada em 25/09/2017 ás 18h56
Selda Gomes adverte sobre risco da continuidade de práticas pelo Coren-PB que enfermagem não aceita mais

imagem

“Ao invés de investir em prédios próprios, a atual gestão do Coren-PB já provou que gosta mesmo é de pagar aluguel, reproduzindo assim as velhas práticas da administração pública em favorecer terceiros - que a Chapa 1, apoiada pelo atual presidente - já prometeu dar continuidade”, afirmou a enfermeira e professora Selda Gomes, representante da Chapa 3 na eleição para o Plenário do Órgão, que ocorrerá no próximo domingo (1º).


Segundo ela, a vultosa despesa com aluguel do prédio de três andares onde o Coren-PB funciona na Av. Maximiano Figueiredo, no centro de João Pessoa, com a atual crise financeira, poderia estar sendo evitada se a gestão tivesse sua própria sede administrativa - antigo sonho da categoria - que contribui também para isso através do pagamento da anuidade, com o sangue suado em exaustivas e estressantes jornadas de trabalho.


O fato que a tem intrigado e a vários profissionais de enfermagem é a inexplicável inutilização de prédios próprios pela atual gestão, que apoia a Chapa 1 na eleição para o Plenário do Coren-PB, que ocorrerá no próximo dia 1º de outubro, apreensivos com o risco de continuísmo que pode tomar conta do futuro da enfermagem, num verdadeiro retrocesso.


Estado de abandono


Um deles, localizado próximo a sede do Conselho, na mesma avenida Maximiano Figueiredo, sob o nº 575 e que encontra-se literalmente abandonado, tornou-se alvo de vandalismos, como pichações, seu estacionamento tem servido a terceiros e proliferação do mosquito da dengue.


Quase 500 m2 de área


O prédio está registrado no Cartório Eunápio Torres, no valor de aproximadamente 1 milhão de reais, tem uma área construída de 478 m2 e conta com dois pavimentos. No térreo, fica o terraço, gabinete, salas de visita e jantar, living, circulação, cozinha, despensa, quarto, wc social, dependência de empregada com banheiro, lavanderia, área de serviço e garagem.


No primeiro andar ainda tem terraço, sala para estudo, hall de circulação, 7 quartos, sendo 3 suítes completas e wc social. O imóvel foi erguido em uma área que mede 14 m de largura quase 40 metros de comprimento.


Enfermagem questiona


\"Porque o prédio localizado na avenida Maximiano Figueiredo, sob o nº 575 continua abandonado até hoje ?\" questionou a enfermeira, professora e representante da Chapa 3, Selda Gomes, reverberando questionamento da categoria ao atual presidente e a Chapa 1, tidos como símbolos do continuísmo e retrocesso.


Selda lembrou que a Chapa 1 é composta por alguns membros que são conselheiros da gestão atual, e estão indo para à reeleição, e pactua com todas decisões do Plenário.


Ela concluiu, deixando algumas perguntas no ar : “Em que e onde serão investidas as nossas anuidades? E o nosso patrimônio abandonado? Devemos deixar de questionar fatos assim, fingindo que está tudo bem, nos deixando intimidar através  de um possível processo ético?

FONTE: Revista Bastidores / Candido
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium