Quinta, 14 de dezembro de 201714/12/2017
83 98876-3375​⁠​
Parcialmente nublado
23º
23º
28º
Bayeux - PB
Erro ao processar!
Paulo Duarte
Paulo Duarte

Paulo Duarte Radialista Licenciado em História e Biologia, Pós Graduado em História da Paraíba sócio da Associação Paraibana de Astronomia.

CULTURA
ESCRAVOS BRANCOS
Como se observa acima, tanto brancos quanto negros foram escravizados. A escravidão foi praticada no mundo inteiro tendo como grandes expoentes Egito e África.
Revista Bastidores PB BAYEUX - PB
Postada em 15/09/2017 ás 08h33
ESCRAVOS BRANCOS

Internet

Aprendemos nas escolasque os escravos sempre foram negros e que nunca existiram escravos brancos. Essa visão da história oficial ainda predomina em algumasinstituições de ensino. No entanto, estudos recentes contestam essa afirmação. Segundo pesquisas realizadas pela Equipe Oásis baseada nos estudos do historiador norte-americano Robert Davis “cerca de um milhão de europeus foram escravizados e obrigados a servir os seus senhores africanos. Entre 1580 e 1680, em Argel, Trípoli e em muitas outras localidades do litoral norte-africano, viviam estavelmente cercade 35 mil escravos brancos”.


Como se observa acima, tanto brancos quanto negros foram escravizados. A escravidão foi praticada no mundo inteiro tendo como grandes expoentes Egito e África. Os europeus capturados eram levados para as cidades do norte da África, arrastados pelas ruas como animais, espancados e cobertos de cusparadas por uma multidão que os insultava. Esses escravos eram levados a cárceres subterrâneos; aglomerados nessas celas infectas, vivendoem meio a excrementos, insetos e parasitas. A luz nessas celas penetrava através de uma abertura gradeada no teto. Para abandonar a prisão, os escravos tinham de se agarrar a uma escada de cordas que era jogada do alto.


Robert Davis escreve sobre ascondições de vida dos escravos europeus revelando o modo como os escravos viviam e como eram comercializados por africanos.


E podia ser ainda pior: a forma mais brutal de exploração do braço escravo era a dos remadores de gales. A bordo de uma galé, a água de beber era poluída. Quem não resistia e caía doente era simplesmente jogado no mar. Os homens viviam acorrentados aos remos. Não podiam se afastar deles e nem ficar em pé, e tinha de dormir sentados em filas de 3 a 4 pessoas. Para fazer suas necessidades, tinha de subir sobre os vizinhos até chegar à borda. Muitos deles, exaustos, denunciavam a se mover; por isso as gales eram cercadas por um fedor bestial.


Podemos afirmar que a escravidão do século XVIII não se restringe apenas a negros (o que era a maior parte da experiência escravista), mas também a brancos que sofriam sob o domínio de outrem. 


Dentre muitas histórias da humanidade, esse é apenas mais um fato que fora esquecido pela historiografia oficial. Ainda existem muitos fatos escondidos que precisam ser revelados.

FONTE: Paulo Duarte
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
283
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium