Sexta, 15 de dezembro de 201715/12/2017
83 98876-3375​⁠​
Parcialmente nublado
25º
27º
29º
Bayeux - PB
Erro ao processar!
POLÍTICA
QUATRO DOS DOZE DEPUTADOS FEDERAIS DA PB SÃO INVESTIGADOS PELO STF; PARLAMENTARES SE DEFENDEM
Entre as acusações estão crimes de corrupção passiva, formação de quadrilha, dispensa de licitação e lavagem de dinheiro
Revista Bastidores PB BAYEUX - PB
Postada em 26/07/2017 ás 11h52
QUATRO DOS DOZE DEPUTADOS FEDERAIS DA PB SÃO INVESTIGADOS PELO STF; PARLAMENTARES SE DEFENDEM

Internet

Citados na lista de parlamentares que respondem a ações penais no Supremo Tribunal Federal (STF), deputados federais paraibanos justificam a inclusão nos processos na mais alta corte do país. De acordo com levantamento feito pelo site Congresso em Foco, quase metade do Legislativo federal é alvo de investigação no STF. Entre as acusações que pesam sob os parlamentares, crimes de corrupção passiva, formação de quadrilha, dispensa de licitação dentro do que é previsto em Lei e lavagem de dinheiro.


No total, são 404 inquéritos e ações penais abertos contra os congressistas, dos quais 77 motivados por indícios de crimes de corrupção. Os paraibanos citados são os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP), Benjamin Maranhão (SD), Rômulo Gouveia (PSD) e Veneziano Vital do Rêgo (PMDB). As suspeitas com frequência estão atreladas à passagem dos parlamentares por outros cargos públicos, especialmente no Executivo.


O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro, responde ao inquérito 3989 por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e quadrilha, na Operação Lava Jato. De acordo com o doleiro Alberto Youssef, Aguinaldo se beneficiava de pagamento mensal de propina feito ao PP, a partir de desvios em contratos da Petrobras. Já o presidente estadual do Solidariedade, Benjamin Maranhão, é réu na ação penal 676, por formação de quadrilha e crimes contra a Lei de Licitações. Os crimes imputados ao deputado estão relacionados à Operação Sanguessuga, que desarticulou um esquema de superfaturamento na compra de ambulâncias em 2006. Ambos não enviaram resposta ao site para comentar as acusações.


O quarto secretário da Câmara Federal e presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia, é alvo do inquérito 3736 e réu da ação penal 952, por crimes contra a Lei de Licitações. O deputado é acusado de ter dispensado licitação duas vezes fora das hipóteses legais quando era presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba. Ao Congresso em Foco, o deputado explicou que as contas relativas à sua gestão quando no Poder Legislativo Estadual foram aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. “A conduta investigada, como se demonstrará ao final da ação penal, não se traduziu em dolo ou má-fé, tampouco implicou dano ao erário. Ressalto que todas as contas relativas a minha gestão à frente do Poder Legislativo Estadual foram aprovadas, por unanimidade, pelo TCE. Portanto, aguardo confiante o pronunciamento definitivo do Supremo Tribunal Federal”, frisou.


O deputado Veneziano Vital do Rêgo responde a nove inquéritos (4085, 3976, 4122, 4229, 4222, 4179, 4029, 4017 e 4012), por corrupção passiva, crimes de responsabilidade e contra a Lei de Licitações e lavagem de dinheiro, relativos aos seus dois mandatos de prefeito de Campina Grande. É investigado, em um dos casos, pelo desvio de R$ 10,3 milhões da prefeitura por serviços pagos a uma empreiteira que não executou os trabalhos. O deputado afirma que, dos 28 processos abertos contra ele no STF, 19 foram arquivados e que tem convicção de que isso ocorrerá com as investigações em andamento. Atribui as acusações a disputas políticas locais.


“Os inquéritos que respondo perante o Supremo Tribunal Federal são provenientes de investigações movidas pela Procuradoria do Município de Campina Grande/PB, em razão da contestação de atos administrativos praticados no período de 2005 a 2012, ocasião em que exerci o cargo de prefeito do Município de Campina Grande. Dos 28 processos abertos no âmbito do STF, 19 foram arquivados após extensas investigações realizadas pelas autoridades competentes, sem a comprovação, sequer indiciária, de minha participação na prática de qualquer ato lesivo ou ilícito durante minhas gestões. Tenho plena convicção de que os 9 inquéritos remanescentes, serão arquivados pela mesma motivação. Ressalta-se que os referidos procedimentos tiveram origem a partir de denúncias feitas pela Procuradoria Municipal, haja vista a disputa política local”.

FONTE:  Blog do Gordinho com Congresso em Foco
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
197
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium